Quase dois meses que não escrevo aqui… Foram dois meses bem atribulados. Passei setembro preparando minha qualificação de doutorado e em outubro me mudei para Estocolmo.

Hoje parei para escrever sobre algo que me lembrava ser bastante chocante nesta região da Europa, mas não estava me lembrando como é drástico: como os dias ficam curtos, e rápido.

Primeiro, um pouco de astronomia e geometria.

Para fins de localização de objetos na superfície, a Terra é dividida com uma grade cujas coordenadas chamamos latitude e longitude. A latitude diz o quão você está ao sul ou ao norte, a longitude diz o quanto você está a leste ou oeste. As unidades utilizadas são ângulos, sendo a referência da latitude a linha do equador e a referência de longitude é a linha que passa pela cidade de Greenwich, na Inglaterra (por mera convenção pois no século 19 a maioria dos navegantes usava essa linha como referência). A figura a seguir mostra bem a ideia.

Sistema de localização terrestre, baseado nas coordenadas de latitude e longitude.
Sistema de localização terrestre, baseado nas coordenadas de latitude e longitude.

Brasília está situada na latitude 15º47′ Sul e Estocolmo está na latitude 59º19′ Norte. Quer dizer, Estocolmo está uns 44º mais pro Norte do que Brasília está para o Sul. Nem parece muita coisa, mas o fato da Terra ser redonda gera várias não-linearidades que quebram completamente nossa intuição. Olhe a figura a seguir em que eu marquei Brasília e Estocolmo com alfinetes vermelhos para ter uma noção da escala do que estou dizendo. Coloquei a posição da câmera em cima da linha do equador.

Estocolmo é muito ao norte!
Estocolmo é muito ao norte!

Uma das piores coisas que quebram a intuição é a quantidade de luz solar que temos durante o dia e como isso muda rápido ao longo do ano.

Insolação

A Terra gira em torno do Sol, você aprendeu na escola primária. Esse movimento forma um plano imaginário que chamamos de Eclíptica e a posição da Terra nesse plano está relacionada com as estações do ano. A Figura a seguir mostra onde estamos nesse momento no movimento em torno do Sol.

Plano da eclíptica e a posição em que estamos hoje.
Plano da eclíptica e a posição em que estamos hoje.

Em parte, as estações do ano acontecem porque o eixo de rotação da Terra está desalinhado do plano da eclíptica, cerca de 23,4º. Isso quer dizer que tem algumas épocas do ano em que o hemisfério sul recebe mais sol e outras em que é o hemisfério norte o mais iluminado. Veja a Figura a seguir que mostra o dia mais iluminado do hemisfério sul, o solstício de verão que acontece em 22 de Dezembro. Estamos nos encaminhando para lá nesse momento.

Inclinação da geodésica, o plano de movimento da Terra ao redor do Sol, e a linha do Equador.
Inclinação da Linha do Equador em relação ao plano da Eclíptica, o plano de movimento da Terra ao redor do Sol. Na figura, está mostrada a época de verão no hemisfério sul.

Repare que Brasília está localizada entre o equador e o trópico de capricórnio nessa época. Por isso que o Sol fica tão alto no céu e os dias são tão cumpridos nessa época. Repare que o pólo Sul fica completamente iluminado, gerando o que se conhece como “sol da meia-noite de dezembro” nesse lugar. Se nós marcarmos o ângulo que o sol faz ao longo do dia em relação ao horizonte hoje, em Brasília, se não ficou nublado, aconteceu um belo dia de Sol rachando sobre vossas cabeças que vai ficar no céu até pouco antes das 19h.

Azimute do Sol em Brasília.
Azimute do Sol em Brasília.

Repare agora que Estocolmo está bem perto da linha do círculo polar Ártico. Nessa época, o Sol fica muito inclinado com relação a Terra por aqui e o Sol quase não aparece. Veja na Figura a seguir a trajetória dele hoje.

Azimute do Sol em Estocolmo.
Azimute do Sol em Estocolmo.

Esse gráfico mostra a triste verdade dos países do Norte nessa época do ano: amanheceu as 7h e está anoitecendo as 16h e o Sol passa rasante no horizonte. Na hora mais clara aqui, o Sol fica tão alto quanto o que acontece as 7h da manhã em Brasília.

Para os que não são muito chegados a gráficos, esta era a posição do Sol visto da minha janela hoje as 15h50. Sim, o Sol já se pôs antes mesmo de eu conseguir terminar de escrever o post.

Vista da minha sacada as 15h50.
Vista da minha sacada as 15h50.

Para piorar, os dias mudam muito rápido

Esse é o retrato do que aconteceu hoje, mas as coisas ficam ainda mais complicadas, afinal, a Terra não para de girar e alterar o ângulo que percebemos em relação ao Sol.

Eu cheguei aqui no dia 4 de Outubro. Nesse dia amanheceu as 6h06 e anoiteceu as 17h05, num total de 11h02 de insolação. Hoje, 30 de Outubro, amanheceu as 7h09 e anoiteceu as 15h55, num total de 8h46 de insolação. Isso mesmo, em cerca de um mês, os dias ficaram 2h16 minutos mais curtos! E a luz que tem aqui não é lá essas coisas, parece que é sempre 6h da manhã enquanto está claro, nunca dá aquela sensação de meio dia. O gráfico a seguir mostra a duração dos dias ao longo do ano por aqui. No solstício de inverno do norte, 22 de Dezembro, serão apenas 6h04 de insolação.

Tempo de insolação em Estocolmo. As quebras no gráfico são o ajuste do horário de verão.
Tempo de insolação em Estocolmo. As quebras no gráfico são o ajuste do horário de verão.

Se você quiser brincar um pouco com isso, nesse link tem uma calculadora com todas essas informações, é só você clicar em “New Select” e marcar no mapa onde está. Toda a discussão que fiz aqui está em relação ao horário padrão, sem considerar o horário de verão que terminou hoje aqui.

Vocês não têm ideia de como isso deixa o corpo maluco. Eu espalhei relógios por toda a casa senão não sei a hora que tenho que comer e quando percebo já são 15h e nem me preocupei em almoçar. Parece que é sempre de manhãzinha por aqui, imagine como é para acordar de manhã e ir para a universidade. Vou dizer que comprei um timer e programei uma luminária virada para minha cama para acender as 6h00 para tentar fazer meu corpo entender que já está chegando a hora de levantar.  Também encomendei um estoque de vitamina D para evitar alguma deficiência maior desse nutriente nessa época de escuridão.

Agora dá pra entender melhor porque o papo sobre o clima e como o inverno é deprimente acontece todo santo dia durante o almoço entre o pessoal daqui…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *