Final de semestre na UnB, os alunos ficam tão atolados de provas e tão desesperados para passar nas disciplinas que nem imaginam que que a alguns de nós professores analisamos o que aconteceu no semestre para verificar se nossas teses sobre ensino e avaliação estavam corretas ou se nossa metodologia surtiu algum resultado. Enfatizo, alguns de nós, imagino que a maioria esmagadora dos professores simplesmente tranque a porta do escritório e só volte no início do semestre seguinte. Enfim…

Vou comentar um pouco do que eu observo, nesse post mostrando o resultado das minhas duas turmas de laboratório de Sistemas Digitais. Neste semestre eu me reuni com os outros professores e começamos a reestruturar as atividades desenvolvidas. Fechamos um esquema com sete experimentos e uma prova final. Cada experimento é composto por um projeto a ser entregue antes da aula, as montagens que sugerimos e uma avaliação escrita aplicada na aula seguinte. A média dos experimentos contabiliza 2/3 da nota do aluno e a prova final contabiliza 1/3.

O gráfico a seguir mostra o desempenho das minhas duas turmas na prova final, sem identificar nenhum aluno. A variável de controle é a média que o aluno obteve nos testes. Aqui eu estou tentando ver se a prova ajudou ou atrapalhou alguém, uma vez que é o instrumento de avaliação que não foi aplicado nos semestres anteriores. O índice de aprovação nas duas turmas juntas foi de 51%, muito baixo para o que eu esperava considerando que é uma disciplina com o conteúdo considerado básico e fácil, mas coerente com o que tenho observado nas turmas dos outros professores.

Notas da prova final da disciplina.
Notas da prova final da disciplina.

Eu separei os dados em quatro regiões. A figura a seguir mostra em destaque as duas regiões de alta correlação: em vermelho estão aqueles alunos que foram mal nos experimentos e que também foram mal na prova; em azul estão aqueles que foram bem tanto nos experimentos quanto na prova. Nada a comentar além de que os bons alunos costumam ir bem em qualquer instrumento de avaliação e os alunos mais fracos costumam ir mal independente do tipo de avaliação.

Notas da prova final da disciplina, destacadas as regiões com alta correlação entre as notas dos experimentos e as notas da prova.
Notas da prova final da disciplina, destacadas as regiões com alta correlação entre as notas dos experimentos e as notas da prova.

Agora vêm os dados que eu gostaria de ver. A figura a seguir mostra em destaque as duas regiões de baixa correlação: em vermelho estão os alunos que foram bem nos experimentos, mas que foram mal na prova; em azul estão os que foram mal nos experimentos, mas foram bem na prova.

Notas da prova final da disciplina, destacadas as regiões com baixa correlação entre as notas dos experimentos e as notas da prova.
Notas da prova final da disciplina, destacadas as regiões com baixa correlação entre as notas dos experimentos e as notas da prova.

Aqui cabem alguns comentários adicionais. Primeiro, nenhum aluno conseguiu recuperar o desempenho ruim que obteve ao longo do semestre com a prova final. Provavelmente aqueles que estavam mal nem vieram fazer a prova.

Segundo, alguns alunos foram relativamente bem nos experimentos porém foram mal na prova. São aqueles que estão na região vermelha do gráfico acima. Os experimentos são realizados em dupla e o objetivo da prova era justamente tentar mapear aqueles alunos que estavam “pegando carona” com a sua dupla, quando um aluno praticamente faz os projetos sozinho e o outro recebe a nota por estar na dupla. Parece que aconteceu um pouco nesse semestre e a prova ajudou a identificá-los. Outra explicação possível é que alunos que foram bem nos experimentos preferiram gastar mais tempo estudando para outras disciplinas do que para esta pois já estavam passados. Preciso de mais dados para concluir alguma coisa.

Por fim, era possível ser aprovado somente com as notas dos experimentos. O gráfico a seguir mostra uma região azul daqueles alunos que já estavam aprovados antes de fazerem a prova final. Somente 3 alunos que já estavam aprovados foram mal na prova, talvez porque concentraram esforços em outras disciplinas, mas isso já é conjectura da minha parte.

Notas da prova final da disciplina, destacada a região de aprovação na disciplina antes da prova final.
Notas da prova final da disciplina, destacada a região de aprovação na disciplina antes da prova final.

Minha conclusão preliminar, antes de conversar com meus colegas das outras turmas, é que a prova final é um instrumento útil e deve continuar sendo aplicada, considerando que a disciplina agora é formalmente independente da teoria.

A segunda conclusão é que os gráficos ficaram muito bonitos e que devo fazer mais deles…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *